É tempo de pensar numa logística adequada as Cidades Inteligentes – sem temer Inovações, construímos um futuro melhor

“Impressiona-me a urgência por fazer.

Saber não é suficiente; deve-se praticar.

Querer não é suficiente; deve-se agir” – Da Vinci.

 

Ideias para produtos inovadores ou produtos comercialmente bem-sucedidos ou mesmo para mudanças que transformem cidades, não surgem do nada. Sempre exigem transpiração, persistência e uma boa dose de conhecimento; ou seja, são os resultados de um trabalho árduo e constante na solução de problemas com um mercado inerente.

Influenciando grandemente no abastecimento das cidades seja transportando alimentos, máquinas, vestuário e tantos outros produtos, como a maioria das outras indústrias, as Organizações do segmento de transporte e logística se confrontam com um mar de mudanças batendo à porta. Não nos referimos aqui aos riscos habituais de acidentes, fraudes e roubos, mas a adoção de novas tecnologias, redução de emissões de carbono, novas expectativas dos clientes e novos modelos comerciais.

Parafraseando Da Vinci, as mudanças são urgentes, querer mudar é apenas o primeiro obstáculo a ser vencido, mas é preciso agir! O setor precisa se desenvolver para enfrentar esses desafios, alguns evolutivos, outros mais revolucionários. Em a inovação disruptiva, Christensen et al. (2015), descreve um processo pelo qual um produto ou serviço se enraíza inicialmente em aplicações simples no fundo de um mercado e, em seguida, move-se implacavelmente para o mercado, eventualmente deslocando competidores estabelecidos.

Refletindo nas demais áreas de logística: Armazenagem e Suprimentos – estas vêm se beneficiando já há algum tempo pela adoção da TIC – no entanto, embora automatizadas até certo ponto, alguns segmentos de indústria e varejo; ainda enfrentam os desafios provocados por uma grande quantidade de pessoas que precisam executar tarefas lentas e manuais e gerenciar uma rede complexa de partes interdependentes. Aqui, o gestor sênior deve ganhar visibilidade das inovações ou novos modelos de negócio que permitam ganhos de eficiência de processo ou visibilidade e fazer por suas empresas as atualizações requeridas por um mercado tão ansioso por produtos e serviços que contribuam para uma cidade mais inteligente!

A estratégia para enxergar o futuro é saber quais passos devemos dar, para alcançá-lo.

 

Bibliografia:

Christensen Clayton M., Raynor Michael, Mcdonald Rory, “What´s disruptive Innovation ?“, HBR, 1995.

 

Otacílio Moreira é engenheiro mecânico com especialização em Produção. Dos seus trinta anos de trabalho, vinte foram dedicados à Logística e a Cadeia de Suprimentos. Participou e liderou três (3) times em projetos globais (USA/Canadá/México e Itália). Desde 1993 atua como professor convidado da pós-graduação na UFF em Gestão Empresarial Estratégica e Logística (Logemp). Possui 2 livros publicados em Cadeia de Suprimentos. Um deles na segunda edição. MBA em administração pela Universidade de Buffalo – N.Y.

É tempo de pensar numa logística adequada as Cidades Inteligentes – sem temer Inovações, construímos um futuro melhor

Deixe uma resposta