Por que ainda escrevo algo sobre Cidades mais Inteligentes?

“O tempo ameniza sofrimentos, mas só a caridade cura as pessoas”. O que isso teria a ver com Cidades mais inteligentes?

Quando pensadores trazem reflexões ao crivo da sociedade é possível questionar ideias e posicionamentos. Certa vez, um grupo de alunos me perguntou porque tratar o tema das cidades inteligentes se estamos rodeados de egoísmo, falta de amor e indiferença com o próximo.

Minha resposta: pessoas merecem aprender formas de melhorar a sociedade e a mudança mais profunda está em nós e não nos outros. O idealismo é o que move as pessoas a externarem suas posições com amor. Pensar em cidades mais inteligentes é pensar em sociedade mais inteligente!

Gostar de estudar, considerar novas posições, rever antigas atitudes, aprender com os erros, descartar o que faz mal e evoluir, sempre! A sociedade mais inteligente é um pouco de tudo isso, um conjunto das inteligências existentes nas cidades reunidas com um ideal: melhorar as condições de vida para todos os habitantes.

Quando a academia traz à tona diversos pensamentos e teorias, o objetivo é encontrar novas soluções para problemas que muitas vezes estão ocultos, submersos ou simplesmente a margem. De fato, muitas vezes as pessoas passam por eles e não buscam soluções, ignoram.

Trazer luz a sociedade é um ato de caridade! Pensar e agir em prol de uma sociedade melhor é ajudar, sem a busca de qualquer recompensa. As consequências e os resultados aparecem naturalmente.

Ser caridoso não significa abrir mão do salário ou das economias, mas buscar transformar a sociedade de acordo com os dons e bens recebidos. Toda vez que compartilhamos algo, impactamos de forma positiva ou negativa a alguém.

Precisamos ser mais responsáveis por nossas externalizações. E como é difícil!

Não podemos pensar em cidades mais inteligentes sem pensar nas pessoas, na vida em sociedade, nos mais necessitados, nos mais carentes e desprovidos de recursos. As cidades são espaços amplos, onde ricos e pobres convivem e precisam de melhores condições de vida!

Nosso grande desafio não é tecnológico! É humano, pessoal, espiritual. Que a cada dia, a sociedade possa construir um espaço mais justo e desenvolvido para as gerações presentes e futuras. Economicamente e do ponto de vista socioambiental.

André Luis Azevedo Guedes é Fundador da RODA Consultoria e Treinamento. Pesquisador Científico do Laboratório de Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade (LITS) da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis da Universidade Federal Fluminense (UFF) e do CTSMART – Centro de Tecnologias Smart. Doutorando em Gestão, Produção e Meio-Ambiente na Pós-Graduação em Engenharia Civil da UFF, com foco em Smart Cities e Inovação. Atuou na formação e coordenação de mais de 500 pessoas.

Por que ainda escrevo algo sobre Cidades mais Inteligentes?

Deixe uma resposta